Pesquisar neste blogue

PROPÓSITO

A CONEXÃO RÁPIDA, CRÍTICA, ENTRE A IMAGEM E A PALAVRA.

O MUNDO E CONTROVÉRSIA.

A ARTE E A POESIA SOBRE A MESA.

A LIGAÇÃO A OUTROS BLOGUES.

PORTUGAL IMAGES:

PORTUGAL IMAGES:
ENTRER ... LA PORTE EST OUVERTE.

DUBITO ERGO COGITO ERGO SUM

DUBITO ERGO COGITO ERGO SUM
CLICAR NA IMAGEM

DE "OS MISTÉRIOS DO OFÍCIO"



"De que servem exércitos de canções
e o encanto das elegias sentimentais?
Para mim, na poesia, tudo tem de ser desmesurado,
e não do jeito como todo mundo faz.

Se vocês soubessem de que lixeira
saem, desavergonhados, os versos,
como dente-de-leão que brota ao pé da cerca,
como a bardana ou o cogumelo.

Um grito que vem do coração, o cheiro fresco de alcatrão,
o bolor oculto na parede...
E, de repente, a poesia soa, calorosa, terna,
Para a minha e tua alegria."



BERTOLD BRECHT (biografia)


Os que lutam
"Há aqueles que lutam um dia; e por isso são muito bons;
Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons;
Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda;
Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis."

Dos Restos de Velhos Tempos
Para exemplo ainda continua a Lua
Nas noites por sobre os novos edifícios;
Entre as coisas de cobre
É ela
A mais inutilizável.   Já
As mães contam de animais,
Chamados cavalos, que puxavam carros.
E verdade que quando se fala de continentes
Já não são capazes de acertar com os nomes:
Pelas grandes antenas novas
Já dos velhos tempos
Se não conhece nada. 

Bertold Brecht, in 'Lendas, Parábolas, Crónicas, Sátiras e outros Poemas' 
Tradução de Paulo Quintela
Data: 2008/10/06 03:05 

GUERRAS & GUERRAS, LDª


Desde irak
Respóndeme, político, ¿por qué
quieres desfigurar la faz del mundo?
¿Por qué quieres cortar
las cabezas azules de mis templos?
¿Por qué quieres
salpicar con mi sangre
a tu pueblo inocente?
¿No sabes que si envías
la muerte a visitarme
volverá sobre ti, boomerang en retorno?
¿Por qué quieres
matar mi casa
romper mi niño
quemar mi perro? 
Andreu Blanca

ESPERANÇA

EL REI D. DUARTE PIO DE BRAGANÇA

ANTES DA UNIÃO IBÉRICA (Ver Ibéria)

O ACORDO ORTOGRÁFICO. 


AOS INCOMPETENTES QUE EMBARCARAM 
EN TAN GRANDE INTEMPESTIVO: 



GALEGO: 
VELAÍ PORQUE O TEU ACORDO ORTOGRÁFICO FOI UNHA DESVIRTUAÇÃO DA NOSA LINGUA.

PORTUGUÊS:
EIS PORQUE O NOSSO ACORDO ORTOGRÁFICO FOI UMA DESVIRTUAÇÃO DA NOSSA LÍNGUA.


CASTELHANO:


POR LO TANTO, SU ACUERDO ORTOGRÁFICO PORTUGUÉS FUE UNA DISTORSIÓN DE NUESTRA LENGUA.


http://www.pglingua.org/


CRÍTICAS AO ACORDO: 

ARTE GALEGA (VIGO)


Houbo un tempo no que o silencio bruía  
entre  os teus ollos de finísimo outono, 
cando o meu nome non era nome, 
alongabas a man cara o frío de con e xacintos 
de  mármore, sen sombra, coa tépeda luz da verba 
non  pronunciada, coa voz do gume aceso 
na gorxa esfragándose neste canto 
que  xace no país da negación.
Versos de Aitor Arronte (Vigo, 1978)

SALVADOR DALÍ (biografia)

TATTOOS


A GALA 

Fuentes de vida
De noches sin mañanas
Yo puedo llegar al surtidor
Donde he visto súbitamente
La imagen tan amada
Que llevaba grabada
En el fondo de mis entrañas.

Yo sé donde está
El pan de vida,
Tan blanco es
Que cerrando los ojos
Lo continuo a ver por transparencia
Pan de vida
Yo sé donde está el horno
En las llamas del cual
He visto prefigurada
La imagen tan amada
De Gala tan amada
Horno que las totémicas guirnaldas
Le sirven de adorno.

Yo sé donde está
En el fondo de la tierra
El bloque de mármol
Donde está contenida
La imagen de Gala tan amada.

Cuatro elementos obsesionan mi Gala
Aire, agua, fuego y tierra
Que corresponden a mi Gala
Que conocí antes de nacer.

¡Aire, aire! Es el que respiro
de noche y de día
veo sin cesar la imagen de mi gala tan amada
el recuerdo de mi Gala tan amada
donde respiro sin cesar
de noche y de día
¡el aire, el aire!
De mi Gala tan amada.

En el fondo sin mañanas
El agua se vierte sin fin
En el surtidor (del jardín)
Donde he visto detalladamente
El rostro de mi Gala
Tan poco amada.

Dali
INFINITO ENIGMA

(A SUA PAIXÃO)

GUERRA JUNQUEIRO e o seu tempo

CLICAR NO TÍTULO

ADORAÇÃO

Eu não te tenho amor simplesmente. A paixão 
Em mim não é amor; filha, é adoração! 
Nem se fala em voz baixa à imagem que se adora. 
Quando da minha noite eu te contemplo, aurora, 
E, estrela da manhã, um beijo teu perpassa 
Em meus lábios, oh! quando essa infinita graça 
do teu piedoso olhar me inunda, nesse instante 
Eu sinto – virgem linda, inefável, radiante, 
Envolta num clarão balsâmico da lua, 
A minh'alma ajoelha, trémula, aos pés da tua! 
Adoro-te!... Não és só graciosa, és bondosa: 
Além de bela és santa; além de estrela és rosa. 
Bendito seja o deus, bendita a Providência 
Que deu o lírio ao monte e à tua alma a inocência, 
O deus que te criou, anjo, para eu te amar, 
E fez do mesmo azul o céu e o teu olhar!...

Guerra Junqueiro


CITIES AND THE NIGHT

NOITE DAS COISAS
Coimbra
Noite das coisas, terror e medo
Na aparente paz dispersa
Sobre as linhas caladas.
Efeitos de luz nas paredes caiadas,
Gestos e murmúrios de conversa
No mundo estranho do arvoredo.



RIO DE JANEIRO:

LISBOA:
CHICAGO:

NÃO SEI SE ME ENGANA HELENA

Pintura de António Soares
Não sei se me engana Helena,
se Maria, se Joana,
não sei qual delas me engana.

Üa diz que me quer bem,
outra jura que mo quer;
mas, em jura de mulher
quem crerá, se elas não crêm?
Não posso não crer a Helena,
a Maria, nem Joana,
mas não sei qual delas me engana.

Üa faz-me juramentos
que só meu amor estima;
a outra diz que se fina;
Joana, que bebe os ventos.
Se cuido que mente Helena,
também mentirá Joana;
mas quem mente, não me engana.
Luís de Camões


PENSAMENTOS

"Não é possível chorar e pensar ao mesmo tempo, pois cada pensamento absorve uma lágrima."
 Renard , Jules