Pesquisar neste blogue

PROPÓSITO

A CONEXÃO RÁPIDA, CRÍTICA, ENTRE A IMAGEM E A PALAVRA.

O MUNDO E CONTROVÉRSIA.

A ARTE E A POESIA SOBRE A MESA.

A LIGAÇÃO A OUTROS BLOGUES.

PORTUGAL IMAGES:

PORTUGAL IMAGES:
ENTRER ... LA PORTE EST OUVERTE.

DUBITO ERGO COGITO ERGO SUM

DUBITO ERGO COGITO ERGO SUM
CLICAR NA IMAGEM

MOZART, WOLFGANG AMADEUS (Requiem)

CLICAR NO TÍTULO ACIMA
Poema de Mozart:
Que os pedaços de mim,
que trago no medo do tempo, não escureçam
o meu viver e nem ceguem o que sei.
Peço à vida que não me negue a condição
de aprender e tampouco me deixe morrer
a vontade de errar.

Que os pedaços de mim possam unir-se na
alegria da noite abrigando a inquietude
de cada gesto reflectido à luz de todo dia.
Que vivam os momentos!
Senão, aquele que sei contido em toda
palavra trocada no peito abrasado.

Que os pedaços de mim busquem a todo o instante
e cada parte de você, seja entregue no querer
ou simplesmente descoberta em cada desejar.
Indolente na presunção de ser me perco e,
mesmo assim, mergulho no orgulho e me nego
nas verdades encontradas por onde passei.

Que os pedaços de mim tragam, a seu tempo,
toda a carícia do espírito poeta, eternizado
a cada letra desenhada no coração apaixonado.
Que todo passo construído oriente, em si, o
caminho desse horizonte sem fim e, no fim de
tudo, possa recomeçar.

Que os pedaços de mim, espalhados na terra,
floresçam com simplicidade na sabedoria de crescer.
Que eu, mesmo desencontrado no alvorecer das minhas
causas, deixe por legado os frutos colhidos no contexto
das palavras forjadas na emoção.

Que os pedaços de mim, reunidos no que acredito,
encontrem, na paz do teu abraço, a luz dos meus
sonhos mais saudosos.
E, assim, não mais dividido, viver a vida sem que
pedaço algum seja mais de mim ou de você, mas um
em cada pedaço de nós.                                     
http://pt.wikipedia.org/wiki/Wolfgang_Amadeus_Mozart

PENA DE MORTE POR LAPIDAÇÃO

سکينه محمدي آشتياني
“…Aquele que não tiver mácula que lhe atire a primeira pedra…”
Sakineh Mohammadi Ashtiani, de etnia azeris, condenada à morte por lapidação no Irão, por adultério.
É inconcebível que no Século XXI, um “Tribunal” em qualquer parte do mundo, elabore a sentença com uma condenação destas, seja por que motivo for...! Muito menos invocando uma religião que por princípio, suponho, invoca de Allah o perdão e a paz. Espero que reflictam e recuem; que não seja executada. Se não a quiserem lá deixem-na sair porque qualquer país do mundo livre lhe vai dar abrigo. Ninguém pode alegar ingerência, é um caso de simples humanismo. O mundo já não é tão "pequeno".  
VAI SER ASSIM?:
Que Deus lhes perdoe, se o fizerem!






Não chega evitar a sua execução, há que lutar pela sua saída do Irão, porque, senão irá sofrer para sempre a pena do desprezo, o assédio, a maledicência dos que a cercam. 


Poema da flor proibida



Por detrás de cada flor
há um homem de chapéu de coco e sobrolho carregado.

Podia estar à frente ou estar ao lado,
mas não, está colocado
exactamente por detrás da flor.
Também não está escondido nem dissimulado,
está dignamente especado
por detrás da flor.

Abro as narinas para respirar
o perfume da flor,
não de repente
(é claro) mas devagar,
a pouco e pouco,
com os olhos postos no chapéu de coco.

Ele ama-me. Defende-me com os seus carinhos,
protege-me com o seu amor.
Ele sabe que a flor pode ter espinhos,
ou tem mesmo,
ou já teve,
ou pode vir a ter,
e fica triste se me vê sofrer.

Transmito um pensamento à flor
sem mover a cabeça e sem a olhar
De repente,
como um cão cínico arreganho o dente
e engulo-a sem mastigar.
  

Wagner, Wilhelm Richard

CLICAR NO TÍTULO PARA OUVIR WAGNER
Cavalgada das Valquírias

As Deusas guerreiras de Ódin de W. T. Maud

"WAGNER CONTINUOU A VIVER EM TRIEBSCHEN, ONDE MUITAS VEZES O VISITOU NIETZSCHE"

PENSAMENTOS


"É chamado de espírito livre aquele que pensa de modo diverso do que se esperaria com base na sua procedência, no seu meio, na sua posição e função, ou com base nas opiniões que predominam no seu tempo. Ele é excepção, os espíritos cativos, a regra; [...] De resto, não é próprio da essência do espírito livre ter opiniões mais correctas, mas sim ter-se libertado da tradição, com felicidade ou com um fracasso. Normalmente, porém, ele terá ao seu lado a verdade, ou pelo menos o espírito da busca da verdade: ele exige razões; os outros, fé."
(F. Nietzsche - Humano Demasiado Humano)
"Conheço a minha sina. Um dia, meu nome será ligado à lembrança de algo tremendo, de uma crise como jamais houve sobre a Terra, da mais profunda colisão de consciências, de uma decisão conjurada contra tudo o que até então foi acreditado, santificado, querido. Eu não sou um homem, sou dinamite."
Nietzsche, Friedrich Wilhelm

A MEDUSA DECAPITADA E POSEISON, DE Peter Paul RUBENS


A BELA E O PESCADOR





                                                  O pescador e a sereia. Frederic Leighton (1830/1896)

Pescador da barca bela,
Onde vais pescar com ela,
Que é tão bela,
Ó pescador?
Não vês que a última estrela
No céu nublado se vela?
Colhe a vela,
Ó pescador!
Deita o lanço com cautela,
Que a sereia canta bela...
Mas cautela,
Ó pescador!
Não se enrede a rede nela,
Que perdido é remo e vela
Só de vê-la,
Ó pescador!
Pescador da barca bela,
Inda é tempo, foge dela,
Foge dela,
Ó pescador!
Almeida Garrett

SUSAN BOYLE NA SEMIFINAL

CANTA PARA BENTO XVI
http://www.youtube.com/watch?v=-GP25wZhrZI

GOA, DAMÃO E DIU


Damão e Diu é um território da União da Índia, junto ao Estado do Gujarate. Durante 450 anos estes enclaves situados na costa do Mar Arábico fizeram parte do Estado Português da Índia, juntamente com Goa e ainda Dadrá e Nagar-Aveli. Goa,  Damão e Diu foram ocupados pela União Indiana em 19 de Dezembro de 1961; contudo Portugal não reconheceu a ocupação até 1974. Goa, Damão e Diu foram administrados como parte de um território da União até 1987, altura em que Goa se tornou um estado de direito próprio dentro da Índia, permanecendo Damão e Diu como territórios da União separado administrativamente.
O guzerate é o idioma maioritário; o uso do português está em declínio por não ser ensinado nas escolas, embora ainda seja falado por 10% dos habitantes de Damão. Existem contudo crioulos portugueses em Damão (conhecidos como Língua da casa) e Diu (a Língua dos velhos); porém, esta última está a extinguir-se rapidamente devido à pressão do guzerate e do hindi que sãoas línguas oficiais. O gentílico de Guzerate é guzerate ou guzarate. 

A CIDADE DO SONHO

CLICAR NO TÍTULO ACIMA

Sofres e choras? Vem comigo! Vou mostrar-te
O caminho que leva à Cidade do Sonho...
De tão alta que está, vê-se de toda a parte,
Mas o íngreme trajecto é florido e risonho.

Vai por entre rosais, sinuoso e macio,
Como o caminho chão duma aldeia ao luar,
Todo branco a luzir numa noite de Estio,
Sob o intenso clamor dos ralos a cantar.

Se o teu ânimo sofre amarguras na vida,
Deves empreender essa jornada louca;
O Sonho é para nós a Terra Prometida:
Em beijos o maná chove na nossa boca...

Vistos dessa eminência, o mundo e as suas
                                                             [sombras,
Tingem-se no esplendor dum perpétuo arrebol;
O mais estéril chão tapeta-se de alfombras,
Não há nuvens no céu, nunca se põe o Sol.

Nela mora encantada a Ventura perfeita
Que no mundo jamais nos é dado sentir...
E a um beijo só colhido em seus lábios de Eleita,
A própria Dor começa a cantar e a sorrir!

Que importa o despertar? Esse instante divino
Como recordação indelével persiste;
E neste amargo exílio, através do destino,
Ventura sem pesar só na memória existe... 

António Feijó, in 'Sol de Inverno'

QUAL FUTURO?

Esta imagem acima, de fina louça, que no seu conjunto representa um urso polar branco, um pinguim rei e um panda, num futuro próximo vai ser assim, mera recordação... de museu e vídeo. E esta abaixo, como vai ser? 
A NATUREZA chegou ao limite sustentável e agora reclama. Já não há retorno mesmo que hoje fosse “zero” as emissões de gases que provocaram o AQUECIMENTO versus ARREFECIMENTO global, dito “efeito de estufa”. Não há local no mundo que não sofra as suas consequências. O nosso século vai ser catastrófico... sem Nostradamus nem apocalipses bíblicos, calendários Maias ou outras profecias  messiânicas; os dados foram lançados e as previsões são meramente científicas.
      Todas as civilizações conceberam os seus deuses "pagãos", conforme as suas vivências, costumes, culturas e necessidades. É fascinante a mitologia grega que tanto tem inflamado escritores, poetas e estudiosos. A Atlântida continua na enigmática penumbra dos mistérios.  
Ainda para a engenharia da actualidade, apesar de muitas hipotéticas explicações históricas, continua a ser um mistério a construção das pirâmides do Egipto e a projecção da luz do farol de Alexandria; os antigos conhecimentos astronómicos dos Maias e outros incógnitos conhecimentos da antiguidade que hoje se vão descortinando e surpreendendo a ciência que, só agora, com as novas tecnologias vai fazendo emergir.    
                Voltando à actualidade mas projectada no que parece ser um futuro pouco promissor e não muito distante: no âmbito da engenharia genética, da nanociência e nanotecnologia que são já tão suficientes para antever o imaginativo do que poderá vir a ser a sociedade ainda no nosso século e, por que não, no séc. XXII que se aproxima a passos largos, já a poucas gerações: O homem poderá vir a ser máquina ou super-homem dotado de poderes que a nossa fantasia ainda considera ficção. Inevitavelmente, assim, o homem separa-se de Deus e Nietzsche, sem culpa nem dolo, voltará a inflamar vontades.
A ciência já atribui como certa, sem retorno, a degradação do planeta com catastróficas consequências para a humanidade. Sabemos pela história que as necessidades colectivas, sede e fome, geram conflitos perdurantes tal como foi a peste negra sem remédio, que se propagava tal sombra como quando o Sol se põe. Certamente não será o fim porque a noite dá lugar ao dia, a escuridão à luz e assim sucessivamente "per omnia saecula seculorum"  mas o pior é a "penumbra" que não é uma nem outra.
      http://www.compute-rs.com/pt/conselho-519943.htm

POLÍTICA DA TRETA



A LINGUAGEM POLÍTICA

A linguagem política dissimula para fazer as mentiras soarem verdadeiras e para dar aparência consistente ao puro vento.

Os povos têm os governantes que merecem; e, quando o governo é democrático, este mecanismo é ainda referendado pela soma dos votos. Quando os malvados e os palermas chegam democraticamente ao poder, pode dizer-se sem ponta de dúvida que a sociedade atingiu o grau mais abjecto de corrupção; pois, se elevar o que é por natureza inferior é sempre uma monstruosidade, quando essa elevação se obtém por vontade popular, somos forçados a concluir que a monstruosidade está enquistada no próprio sistema.
(Juan Manuel de Prada, in A Nova Tirania)
http://es.wikipedia.org/wiki/Juan_Manuel_de_Prada

LEI DA VIDA


MELHOR É A SABEDORIA DO QUE A PRÁTICA CONSTANTE

Melhor é a sabedoria do que a prática constante; melhor que a sabedoria é a meditação, e melhor que a meditação é a renúncia ao fruto das acções. Após a renúncia vem a paz.
(Bhagavad-Gita)
LLEVETE YO
Lleven otros galeras de marfil por el río
de la vida; otros lleven acopio de ilusión;
otros rockfellerescos tesoros, señorío…
¡Llévete yo, Dios mío, dentro del corazón!
Llévete yo, Dios mío, como perla divina
en el trémulo estuche del corazón que te ama;
llévete yo en la mente como luz matutina
llévete yo en el pecho como invisible llama.
Llévete yo en la música de todo cuanto rime;
en lo más puro y noble de mi canción palpita,
y sé para mi espíritu el amigo sublime
que anuncian tus palabras en el Bhagavad-gita.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Bagavadguitá

YEUX.



Qu’il soient bleus ou verts ;
Qu’ils soient indulgents ou sévères,
Deux yeux, ce sont deux agates ;
Ce sont deux bijoux de couleur.
S’ils appartiennent à une renégate,
Ils deviennent source de douleur,
Et il faut plaindre le malheureux
Qui en est tombé amoureux.
Ils sont sources de pleurs
Et attristent le cœur
Quand le chagrin reste inexprimé.
Quand une femme n’est pas aimée,
Ils sont éplorés et obscurcis.
Yeux de biches ou en amandes ;
Yeux noirs ou adoucis ;
Yeux heureux ou en demande.
Il y en a qui ne voient jamais le jour,
Mais leur bonheur n’a nul autre pareil
Parce qu’ils regorgent de soleil.
Il y en a qui conviennent aux vautours.
Ceux-là de toutes les beautés ils jouissent,
Mais jamais ne s’épanouissent.
Les yeux sont deux fenêtres ouvertes.
Elles révèlent l’âme rebelle ou offerte
En fonction de chaque individu,
Qu’il soit serein ou éperdu. 
Mahdaoui ABDERRAOUF

A MEMÓRIA DO SÉCULO XX NO SÉCULO XXI


NOTRADAMUS:
O SÉCULO XXI
DO MANUSCRITO AGORA ACHADO, AS PREMONIÇÕES DE NOSTRADAMUS PARA O SÉCULO XXI:
Aumentam as catástrofes naturais. A seca e a falta de água potável são globalmente dominantes;
A Coreia do Norte invade a Coreia do Sul;
Os Estados Unidos Intervêm diplomaticamente e reforçam-se militarmente;
A China invade Taiwan e as Filipinas;
A União Europeia desagrega-se e o mundo caí numa nova crise económica e energética;
Os países Árabes unem-se numa força económica e militar avassaladora com a Índia e a China;
A América Latina entra em conflito: Venezuela e Colômbia; Brasil e Argentina encerram fronteiras e iniciam confrontos armados;
Os Estados Unidos; os Países da Nato reforçam as posições militares no Iraque e Afeganistão;
A Espanha e o Reino Unido desagregam-se; é o fim das monarquias;   
O Irão ataca Israel e inicia a invasão do Iraque;


É assassinado um homem “santo”;

Eclode o III conflito mundial. O apocalipse é global.
Surgem máquinas de guerra e tecnologias nunca antes imaginadas. 

SIMBOLISMOS



CHARNECA EM FLOR

Enche o meu peito, num encanto mago,
O frémito das coisas dolorosas...
Sob as urzes queimadas nascem rosas...
Nos meus olhos as lágrimas apago...

Anseio! Asas abertas! O que trago
Em mim? Eu oiço bocas silenciosas
Murmurar-me as palavras misteriosas
Que perturbam meu ser como um afago!

E, nesta febre ansiosa que me invade,
Dispo a minha mortalha, o meu burel,
E já não sou, Amor, Soror Saudade...
Florbela Espanca

POETAS E PENSADORES



Uma desculpa é pior e mais terrível que uma mentira; pois uma desculpa é uma mentira disfarçada.
(Alexander Pope)